Cuidando da sua Saude

Problemas comuns
Sangramento pelo ânus
Data: 07/06/2004

Sangramento pelo ânus após uma evacuação é muito comum. Em uma pesquisa que envolveu 1.620 ingleses, 10% responderam que haviam observado esse sinal nos últimos meses. Entretanto, essa cifra está subestimada.

Quando as pessoas com síndrome do cólon irritável, que são mais observadoras de suas fezes do que as outras pessoas, mas não têm nenhuma razão para sangrar mais pelo ânus, foram questionadas com a mesma pergunta, 35% responderam que tinham detectado sangue.

De onde ele vem? Na maioria das pessoas, o sangue vem do canal anal e há duas causas comuns. Se há dor baixa durante ou imediatamente após a passagem das fezes, então o sangue provavelmente vem de uma pequena rachadura ou esgarçamento da parede interna do canal anal. Isto tende a acontecer quando as fezes são muito grandes ou duras. Se não houver dor, então o sangue deve vir mais provavelmente de uma hemorróida.

Uma hemorróida é o colchão anal que foi empurrado para baixo no canal anal. É uma protuberância macia e frágil, facilmente lesada quando fezes passam por ela. Freqüentemente as pessoas com hemorróidas não sabem de sua existência, mas outras podem sentir um caroço dentro ou fora do ânus. Embora isso seja desconfortável, não é, necessariamente, doloroso. É também uma chateação, pois pode sujar as roupas íntimas e provocar uma coceira ao redor do ânus.

O sangramento de uma hemorróida interna pode ser alarmante, mas nunca traz conseqüências sérias. O sangue pode espirrar ou pingar no vaso sanitário ou simplesmente ser visto como um filete vermelho nas fezes ou no papel higiênico.

A hemorróida é causada pelo esforço na defecação, assim, é mais comum em pessoas constipadas ou que mantêm esforços prolongados devido a um reto irritável, que manda sinais falsos de que ainda há fezes dentro.

As hemorróidas pequenas curam-se espontaneamente quando a constipação é resolvida ou o esforço cessa. As maiores requerem tratamento cirúrgico. Pode ser por uma simples injeção, por uma compressão ou por remoção; neste último caso sob anestesia geral.

Quando o sangramento é sério
Em uma pequena minoria, o sangramento é causado por uma doença do cólon em um ponto mais alto do que o ânus. O caso mais sério é o de câncer ro reto ou do cólon inferior, mas o sangue também pode vir de pequenos tumores (chamados pólipos), de inflamação do reto (proctite) ou inflamação do cólon, imediatamente acima do reto (colite distal). Todas essas condições podem ser tratadas e a cura é mais provável se o tratamento começa cedo.

O sangramento por essas causas é menos freqüente do que o sangramento do ânus, e vai ser visto somente se as fezes forem examinadas com atenção. Entretanto, o importante é saber se o sangramento tem causa séria ou não, assim, o mais seguro é marcar uma consulta com o médico sem demora. Mas há uma exceção à esta regra; se o sangramento é um evento raro, que acontece apenas quando você tem uma evacuação particularmente dolorosa, com fezes grandes e duras, então não se preocupe, deve ser apenas um ferimento agudo do canal anal. Para as pessoas com mais de 50 anos é sensata a precaução de examinar as fezes ocasionalmente, uma vez por mês, pelo menos, para verificar se há sinais de sangue. Mas não vá se confundir com um pedaço de casca de tomate, cuja aparência é a mesma do sangue!

O que o médico vai fazer?
Algumas pessoas com queixa intestinal vão adiando as suas consultas médicas por medo. Na realidade não vai ser tão ruim como elas imaginam. Pode ser humilhante, mas não deve doer. O exame físico constará de uma palpação cuidadosa do abdômen, com você deitado de barriga para cima; o médico vai sentindo cada parte da barriga com os dedos, primeiro gentilmente, depois mais profundamente, à procura de pontos salientes ou doloridos. O médico pedirá para que você se deite sobre o lado esquerdo, com suas coxas fletidas junto à barriga, para o exame do ânus.

A parte externa do ânus é examinada primeiro, depois, com uma luva lubrificada com um gel, ele introduz gentilmente o dedo indicador direito no canal anal, para examinar o seu interior. A esta altura, se você conseguir relaxar bem o seu ânus, o exame será mais confortável para você e mais fácil para o médico. Vai ajudar também uma respiração lenta e profunda, com a boca aberta. Tendo terminado o exame do canal anal, o médico retira o dedo e o examina à procura de sinais de sangue. Se houver fezes na luva, o médico pode fazer um borrão em um pedaço de papel e adicionar algumas gotas de uma substancia que revela sangue oculto nas fezes (a reação da uma coloração azul). Se você vem tendo sangramento, o próximo exame médico provavelmente será uma proctoscopia. Esta consiste em uma inspeção visual do canal anal (e do reto inferior) que na verdade deveria chamar-se anoscopia.

É realizada com o auxilio de um tubo de uns dez centímetros de comprimento e do diâmetro de um dedo de homem. Mais uma vez, se você relaxar o seu ânus, o tubo vai deslizar para dentro tão facilmente como o dedo, porque estará bem lubrificado e a sua extremidade de trabalho é arredondada por uma tampa removível chamada obturador. Quando esta é puxada, uma luz clara permite que o médico veja se há hemorróidas ou algum outro problema no canal anal, o que é melhor evidenciado à medida que o instrumento é puxado para fora de você. O tubo pode parecer frio e estranho, mas, eu repito, não deve machucar. Se isso acontecer, diga-o imediatamente e o médico interrompe o procedimento. Se mais exames forem necessários, eles poderão ser realizados com anestesia. Na mesma seqüência, o próximo exame de rotina é a sigmoidoscopia, que pode ser realizada por alguns clínicos gerais. É mais comum ser feita por um especialista em um hospital. Em princípio é a mesma coisa que a proctoscopia, mas o tubo é maior. Freqüentemente mede 25 centímetros de modo que o médico possa ver todo o reto.

Às vezes ele pode ver além, no cólon sigmóide (daí a sigmoidoscopia), mas, na maioria das vezes isso não e possível porque há uma curvatura acentuada onde o reto se liga ao sigmóide. A sigmoidoscopia e um procedimento rápido (de dois a três minutos), mas de grande valor para o médico. Durante o exame, uma certa quantidade de ar é bombeada para dentro do intestino. Muitos têm a sensação da necessidade de soltar gases durante essa manobra. Se a sensação for mais desconfortável do que isso, pode ser um sinal de que se trata de um intestino irritável. Como isso pode ser a chave para o seu diagnóstico, se acontecer com você não deixe de mencionar ao médico. Aproveitando a sigmoidoscopia, o médico pode decidir em tirar uma pequena amostra de tecido da parede do reto - uma biópsia retal - para exame sob microscópio. Isto é feito por meio de longas pinças que são passadas ao longo do tubo. Embora a maioria das pessoas não sinta nada, aqueles com reto sensível podem sentir um beliscão.

A endoscopia por fibras ópticas (colonoscopia) é realizada em hospitais, por especialistas que usam longos instrumentos flexíveis chamados de sigmoidoscópios ou colonoscópios flexíveis. Eles permitem que o médico examine os últimos 30% e 100% do cólon, respectivamente. Se você precisar de um exame desses, receberá instruções completas antes de ser submetido. Entre elas provavelmente estará a de tomar um laxativo para limpar o cólon. Para o exame, você tomará um sedativo para se livrar de qualquer desconforto. Um outro exame e o raio-x com enema de bário. Este também envolve uma ida ao hospital e um laxativo prévio para limpeza.

Vão pedir que você se deite de lado na mesa do raio-x e um tubo lubrificado será introduzido através do seu ânus, o qual servirá para a administração de uma suspensão líquida de sulfato de bário que aparece no raio-x. Uma certa quantidade de ar também será insuflada e pedirão que você mude de posição várias vezes a fim de facilitar que o bário atinja todo o cólon. Depois que as chapas de raio-x forem tiradas, o excesso de ar e de suspensão de bário serão drenados para fora. Em seguida vão pedir para que você vá ao toalete eliminar o bário que restou. Finalmente, se os seus intestinos estão lhe causando alguma preocupação, é sempre melhor ir logo ao médico de que protelar. Não se sinta acanhado - certamente não será a primeira vez que o médico vai ouvir esse tipo de queixa.

Pontos centrais

  • Sangramento pelo ânus e comum, mas só raramente indica um problema sério. As causas mais comuns são ferimentos no canal anal e hemorróidas.
  • Para estar seguro, a não ser que o sangramento tenha sido um evento único, consulte um médico o mais rápido possível.
  • Examine suas fezes regularmente para verificar a presença de sangue.
  • Seu médico vai examiná-lo por fora e por dentro. O exame interno não é doloroso, mesmo que o médico tenha de usar um instrumento (proctoscópio) para ver melhor.
  • Os especialistas nos hospitais poderão examiná-lo com instrumentos mais longos (sigmoidoscópios e colonoscópios) Esses procedimentos também não devem causar dor.
  • Às vezes vai ser preciso fazer um enema contrastado com bário.

Fonte: Isto É - Guia da Saúde Familiar - Intestinos nº 9.