Cuidando da sua Saude

Especialidades médicas
Entenda melhor seus hormônios
Data: 10/03/2011

Hormônios são substâncias que carregam mensagens de um órgão para outro ou para outros tecidos do organismo. O bom funcionamento do ciclo reprodutivo feminino depende dos hormônios sexuais estrógeno e progesterona, que são produzidos principalmente pelos ovários durante a vida reprodutiva.

Função do estrógeno

Responsável por induzir a proliferação de células de muitos locais do organismo, é devido ao estrógeno que:

  • a vagina e os grandes e pequenos lábios se desenvolvem;
  • a região pubiana torna-se coberta por pelos;
  • o quadril se alarga e assume a forma ovóide, para acomodar o feto;
  • ocorre o desenvolvimento das mamas.

O estrógeno também é fundamental para o crescimento dos ossos após a puberdade, bem como para sua calcificação - neste caso, para interromper o chamado "estirão". Nessa fase, a mulher cresce mais rapidamente que o homem, e o processo é interrompido após poucos anos.

Principais alimentos ricos em estrógeno: soja, inhame, lentilhas e grão-de-bico.

Função da progesterona

Essencial para preparar o útero para receber o embrião, bem como das glândulas mamárias para a produção de leite, a progesterona é um hormônio desenvolvido pelo corpo lúteo do ovário, em local ocupado por um óvulo maduro liberado durante a ovulação. Quando um óvulo não é fecundado, reduz-se a produção de progesterona, o que possibilita a menstruação e a degeneração do corpo lúteo. Se o óvulo for fecundado, porém, a progesterona evita que haja contrações uterinas e impede a expulsão do feto.

Estudos sugerem que a progesterona é uma das responsáveis pelo inchaço durante o período menstrual, pois ativa um sistema que eleva a produção de um hormônio responsável por reter líquidos e sais, causando alterações de peso em até 2 quilos.

Alimentos ricos em progesterona: inhame. Comer amendoim, amêndoa, castanha e nozes, que contêm ácidos graxos insaturados, também contribui para a produção do hormônio.

Menopausa

Ao se aproximar da menopausa, a falta de conhecimento sobre hormônios sexuais faz com que muitas mulheres não saibam como escolher uma terapia de reposição hormonal. Durante o climatério, período que antecede o último ciclo menstrual, o corpo feminino deixa, pouco a pouco, de produzir estrógeno e progesterona, o que leva a alterações no corpo e na mente.

A falta de estrógeno, por exemplo, deixa a mulher propensa a ataques cardíacos e doenças degenerativas dos ossos (como osteoporose). A reposição hormonal pode reduzir colesterol e riscos de doenças cardiovasculares, além de problemas como insônia, irritabilidade e depressão.

A escolha do melhor tratamento depende das características de cada mulher. Fale com seu médico!

 

Fonte: Dra. Elisabete F. Almeida
drabete@lincx.com.br