Cuidando da sua Saude

Urologia
Opções de tratamento para pacientes com prostatite crônica
Data: 23/06/2004

A prostatite bacteriana crônica apresenta-se caracterizada pela cultura bacteriológica positiva de secreções prostáticas.

Os sintomas incluem infecções urinárias de repetição, dor lombar ou perineal, mas os pacientes podem também ser assintomáticos. Os agentes causadores mais comuns são Escherichia coli, outros agentes gram-negativos como Enterobacteriaceae, Pseudomonas ocasionalmente e, muito mais raramente, enterococos gram-positivos.

Pacientes com prostatite crônica asséptica podem apresentar dor pélvica ou lombar, associada a urgência miccional, noctúria, redução do jato urinário, polaciúria, disúria, plenitude vesical e inflamação (leucócitos). A maior parte dos casos de prostatite crônica é asséptica.

Stern e Schaeffer revisaram os tratamentos disponíveis para pacientes com prostatite crônica, realizando uma pesquisa no MEDLINE, com levantamento de todos os ensaios clínicos randomizados relevantes.

A prostatite crônica bacteriana é tratada com agentes antimicrobianos, com poucas evidências sugerindo que as quinolonas sejam mais eficazes do que o trimetropim-sulfametoxazol. A duração do tratamento disponível em dados de literatura foi variável. Poucas evidências foram encontradas sobre outros esquemas antibióticos. Os efeitos colaterais das quinolonas são raros e nenhum efeito colateral foi descrito associado ao uso de trimetropim-sulfametoxazol.

A recorrência tardia da doença (6 a 12 meses após o tratamento) mostrou-se comum. Não há evidências que comprovem a eficácia da administração local de antibióticos e da adição de alfa-bloqueadores ao esquema antibiótico, com o intuito de melhorar a evolução e diminuir a recorrência da infecção. A ressecção transuretral da próstata está indicada apenas nos pacientes com infecção refratária ao tratamento. A prostatectomia radical é o tratamento de última escolha, sem dados que comprovem seu benefício em ensaios controlados e randomizados. Pode, ainda, causar impotência e incontinência urinária.

O tratamento de pacientes portadores de prostatite crônica asséptica com alfa-bloqueadores pode aliviar os sintomas, sem o surgimento de efeitos colaterais. Há poucas evidências a favor da termoterapia transuretral com micro-ondas ou da administração de allpurinol. A tabela abaixo mostra a conduta em casos de prostatite crônica asséptica.

Fonte: Stern JA, Schaeffer AJ. Chronic prostatitis.
West J Med February 2000;172:98-101.

Conduta em casos de prostatite crônica
Intervenções na prostatite crônica bacteriana

Provavelmente benéficas:

  • Antibióticos
  • Alfa-bloqueadores

Eficácia não conhecida:

  • Injeção local de agentes antimicrobianos
  • Ressecção transuretral
  • Prostatectomia radical

Intervenções nos casos de prostatite crônica asséptica
Provavelmente benéficas:

  • Alfa-bloqueadores

Eficácia não conhecida:

  • Termoterapia transuretral com micro-ondas
  • Massagem prostática
  • Banhos de assento
  • Biofeedback
  • Allopurinol

Referência: Stern JA, Schaeffer AJ. Chronic prostatitis.
West J Med 2000;172:98.

Editora responsável: Dra. Elisabete Almeida - drabetty@lincx.com.br

Mais Artigos

22/06/2005
PSA falso positivo

 
 [1]  2